ANA CAROLINA

O sugestivo título DO RE MI (Bell Lins) no seio da Música Cristã, nos remete ao comprometimento que os artistas do segmento Gospel, são convidados a ter com a causa e o relacionamento com Deus. Uma tomada de posição. O cristão pode cantar músicas seculares? O que significa “...se vender por dó, ré, mi...”? Mas será que se tomarmos ao pé da letra o convite ao comprometimento, não estaremos incorrendo no erro de atentarmos para a letra (ensino, preceitos) da lei, esquecendo-nos do espírito (intensão, propósito) da mesma? O tema é recorrente. Cada um sabe onde o seu calo aperta. Mas a Carol, para os mais chegados, não estava nem um pouco preocupada com isto. A mensagem, é claro, teve o seu endereço. Ela, contudo, acreditamos que  no final das contas, queria mesmo é ser feliz. E foi. As notas se encaixaram no tempo, na escala e nos acordes. Os seus vibratos discretos, os coloridos e o conjunto da obra, ótima aluna que sempre foi, mostraram o por que da sua indicação pela direção da escola, para aluna modelo em 2016.